terça-feira, 19 de outubro de 2010

O Desafio de ser Mulher nos anos 2000


Tenho 23 anos. Estou no início da minha carreira, menos de 1 ano de formada, morando com meus pais, uma família classe A/B, e solteira. Há alguns anos atrás eu provavelmente estaria casada, já com 1 ou 2 filhos, meu marido seria uma homem bom e com dinheiro, porque meu pai não me deixaria casar com um Zé Ninguém. Com certeza teria escolhido o filho de algum amigo dele para ser meu marido. Minhas preocupações seriam conferir o dever de casa dos meus filhos, verificar se a empregada fez o almoço conforme eu pedi, decorar a casa, bordar, encontrar minhas amigas para um chá no final da tarde, fazer compras, ir na missa aos domingos, ler e de noite dar atenção ao meu marido e satisfazê-lo na cama.

Aconteceu a guerra, nossos homens foram pra batalha e nós mulheres, fomos trabalhar no lugar deles. Algumas de nós odiavam sair de casa pra trabalhar, mas algumas infelizes acharam o máximo. Provavelmente aquelas que tinham um marido filha da puta que enchia a cara e chegava em casa quebrando tudo. Essas adoraram a guerra e amaram a tão sonhada liberdade! Foram lá queimar o sutiã e colocar na nossa cabeça que temos que ter o nosso espaço no mercado de trabalho, que temos que conquistar nossa liberdade, que somos tão inteligentes quantos os homens e que depender de homem é uma merda.

Que somos tão inteligentes quanto os homens todas nós sabíamos! Só que nunca nos preocupamos em provar. Porque é muito mais cômodo ficar em casa, cuidando dos filhos, fofocando com as amigas, etc. Enfim cá estou eu tendo que gastar meus neurônios para crescer profissionalmente. Mas para ser respeitada, além disso, tenho que ter um belo lar, lindos filhos e um marido como vemos nos filmes. Não é demais? E os homens estão virando bichas ou vagabundos. Pra eles basta ter dinheiro, morar com a mãe, gastar com cerveja e mesmo assim, tem um monte de mulher querendo esses merdas.

Na hora de reencarnar acreditei que escolhendo ser mulher teria uma vida pacata, mas me fudi!

8 comentários:

Tati disse...

Carol
Adorei o seu blog!!! Pensamos parecido e quase simultaneamente... muito legal isso!!!
Vou te seguir sempre!
Beijos,
Tati

http://comoagarrarummarido.blogspot.com/

Tati disse...

Oi Carol, de novo...to freguesa aqui! hahahaha
Se quiser contar pra mim essa história, podemos falar sobre ela... Se quiser, claro!!
tatiana.comoagarrarummarido@gmail.com

Vamos com fé...tudo se resolve e, como dizem minhas amigas, se não chegou ao fim é pq não acabou.

Beijos,
Tati

http://comoagarrarummarido.blogspot.com/

Tati disse...

Nossa...só dá comentário meu...hahaha
A gente se fala sim. Quer dizer, agora não mais...pelo menos por um mês. Mas não vou esperar sentada chorando,não.
Vou vivendo...e o que tiver que ser, será. Como dizem por aí: o que é do homem, o bicho não come.
Beijos,
Tati
http://comoagarrarummarido.blogspot.com/

Ellen Damaris disse...

primeira vez aqui ;D
nossa adorei, parabens
eh esse texto super real msm, antigamente era desse jeito msm !
beijos

Celamar Maione disse...

Hahahahahah !!
Todas sifu.
Eles estão adorando a nossa liberdade.

Beijão

Tati disse...

Oi Carol,
Obrigada pelo incentivo...hehehehe
Vc é uma fofa!!
Beijos,
Tati

Carolina de Castro disse...

Qdo eu for renascer e Deus perguntar pra mim se eu quero ser homem ou mulher, vou ter que responder mulher!!
É aquele negócio alma feminina não consegue largar o osso.
O jeito vai ser encarar e "rebolar".
Mas não acho ruim não! Bola pra frente!
=)
rsrsrsrs
beijos

Lucas Ribeiro disse...

Essa mulherada está com tudo, Carol!